Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

5 coisas que você precisa saber sobre doença psicossomática4 minutos de leitura

5 coisas para saber sobre doença psicossomática

Afinal, a palavra está por toda parte nos últimos tempos e cada vez mais as pessoas estão buscando tratamento. Saiba mais sobre a doença e como ela age.

Você provavelmente já ouviu falar em psicossomática. O termo se popularizou na última década sem que fosse dado a ele a devida atenção. Algumas pessoas simplesmente dizem “é doença psicossomática, logo passa” e não buscam um profissional para entender de fato o que está desencadeando as dores, mal estar, gripes, enjoos, alergias, entre tantas outras coisas.

A doença mostra que o corpo e a mente precisam de uma pausa. Por mais que você esteja acostumado com a rotina, o cansaço é um sinal de que é preciso diminuir a velocidade. Nem sempre você está realmente presente no que faz, mas não percebe. Então o corpo manda sinais por meio de uma doença psicossomática e somatização. 

Mas, afinal, o que é doença psicossomática? Quais são os sintomas? Como é o tratamento? É melhor procurar um médico ou psicólogo? Essas dúvidas serão resolvidas a partir de agora!

 

Leia mais:

Sintomas físicos causados pelo estresse

 

O que é doença psicossomática

De origem grega, psicossomática é a junção de duas palavras: psique, que significa mente e alma, e soma, que significa corpo. Ou seja, o ser humano é completamente conectado física e psicologicamente. Quando algo não está como deveria na sua mente, o seu corpo manda sinais de que é preciso prestar atenção.

É preciso considerar aspectos biológicos, psíquicos e sociais de um indivíduo para analisar o desenvolvimento da doença. Existem dois fatores que são determinantes para o avanço da doença: os exógenos e os endógenos. 

 

Como a doença psicossomática acontece?

Os fatores endógenos são internos: psíquicos, genéticos ou fisiológicos. Quando em desequilíbrio, refletem sintomas que influenciam no meio em que a pessoa vive, podendo afetar toda sua rotina. 

Os fatores exógenos são externos, como desemprego, luto, traumas, entre outros acontecimentos. Todas essas coisas têm impacto direto na vida de uma pessoa, causando problemas tanto no corpo quanto na mente, desencadeando uma doença psicossomática. 

 

Leia mais:

Os benefícios em pedalar diariamente

 

Sintomas de doença psicossomática

Os sintomas de doença psicossomática podem ser psicológicos, como estresse, ansiedade, dificuldade em se concentrar, impaciência e nervosismo; ou físicos, como gastrite, falta de apetite, insônia, taquicardia, dores de cabeça frequentes e tensão muscular.

Esses sintomas podem variar de pessoas para pessoa, inclusive em intensidade. Algumas pessoas desenvolvem transtorno de ansiedade, Síndrome de Burnout e depressão. 

Doenças psicossomáticas mais comuns

Algumas das doenças mais comuns são: síndrome do intestino irritado, enxaqueca, alergias alimentares, respiratórias ou de pele, gastrite, impotência sexual, inflamação das amígdalas e infertilidade. 

 

Leia mais:

Estresse e ansiedade: 10 chás que ajudam a diminuir os sintomas

 

Como é o tratamento de uma doença psicossomática

No mundo ideal, você deveria procurar atendimento médico ao menor de qualquer um dos sintomas de uma doença psicossomática, seja ele físico ou psicológico. É importante estar atento se algo preocupante ou estressante aconteceu pouco tempo antes de o ou os sintomas surgirem. Essa informação deve ser passada ao médico para que ele tenha todos os detalhes em mãos.

Pode ser que o médico indique ou não algum medicamento para ajudar no tratamento da doença psicossomática em um primeiro momento. Mas existem coisas essenciais e que podem fazer toda a diferença no enfrentamento de situações adversas:

  • Exercícios físicos diários ajudam na sensação de prazer e a manter o foco. Encontre algo que goste de fazer e coloque em prática;
  • Ouvir música ajuda a silenciar e acalmar a mente. Existem playlists específicas para ansiedade, foco, concentração, sono e relaxamento; 
  • Conversar auxilia na percepção do que realmente está acontecendo. Por isso, faça terapia, encontre um ou uma psicóloga com a qual você se sinta à vontade e comece suas sessões. O autoconhecimento nos ajuda na manutenção da saúde e do equilíbrio e diminui as chances de desenvolver uma doença psicossomática. 

 

Com informações do Instituto de Psiquiatria Paulista.

Saúde e bem-estar na palma da sua mão.​

O app que reúne os melhores profissionais e serviços de saúde para te ajudar a ter uma vida melhor e mais saudável.​

Veja também